Os 45 anos do homem na lua

Esta semana foi comemorado o aniversário de 45 anos da primeira vez que o homem pousou na lua. O fato é marcante na história da humanidade, já que a lua foi o primeiro lugar que o ser humano pisou fora do planeta terra. E este fato tão importante (a viagem até a lua) ocorreu devido a alguns acontecimentos históricos que se desenrolaram nos anos anteriores, dando origem à corrida espacial.

Com o fim da segunda grande guerra, duas superpotências se estabeleceram no mundo, EUA e URSS, e entre elas iniciou-se um duelo sem combates, a guerra fria. Nesta guerra, havia uma grande competição entre as superpotências para mostrar ao mundo quem poderia ser mais forte militarmente, se desenvolver mais cientificamente, etc. Neste clima, surgiu a corrida espacial, com os dois lados competindo pela exploração desta nova fronteira. Em 1957, a URSS enviou o primeiro satélite, o Sputnik, e o primeiro ser vivo ao espaço, a cadela Laika. Em resposta, no ano seguinte, os EUA lançaram também um satélite ao espaço, o Explorer. Continuando a disputa, em 1961, a URSS enviou o primeiro homem em uma viagem espacial, Iuri Gagarin, e dali para frente ambos países continuaram a enviar satélites e pessoas ao espaço até que, em 1969, astronautas americanos chegaram a lua.

Os EUA enviaram a Apollo 11, tripulada por Neil Armstrong, Edwin “Buzz” Aldrin e Michael Collins, com a missão de levar o ser humano à lua. E, em 20 de julho de 1969, isso aconteceu, o homem pousou lá pela primeira vez na história. Neil Armstrong foi o primeiro a caminhar em solo lunar dizendo a famosa frase: “é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para humanidade”. Em seguida, Buzz Aldrin também fez uma caminhada neste novo território em que a humanidade chegava pela primeira vez. Já Michael Collins ficou no módulo de comando aguardando a volta dos companheiros. Os astronautas deixaram na lua a bandeira americana e uma placa com a frase: “Aqui os homens do planeta terra pisaram pela primeira vez na lua. Julho de 1969. Viemos em paz, em nome de toda humanidade”.

Após a Apollo 11, diversas missões espaciais aconteceram, mas devido ao fim da corrida espacial e a enorme quantidade de dinheiro necessário para viajar ao nosso satélite natural, as viagens à lua foram deixadas de lado. Mas o homem não desistiu do espaço sideral e a Nasa (agência espacial americana) anunciou que pretende enviar uma missão tripulada a Marte em 2030. O planeta vermelho será a próxima fronteira espacial a ser alcançada pela humanidade.

3 comentários:

  1. Pois é...
    Tantos anos depois surgem noticias e análises de que o evento não teria acontecido. Teria sido apenas mais uma guerra fria dos USA contra a Russsia.
    O que acho? Tudo é possível.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, tudo é possível. Mas enquanto não provarem o contrário, continuo acreditando na versão oficial. Grato pelo comentário.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Não acho que a chegada do homem à Lua tenha sido uma farsa, se o fato de satélites serem lançados ao espaço(em órbita terrestre) não cria dúvida alguma ao povo, a chegada do homem à Lua não deveria ser tão julgada como falsa, já que é possível controlar a direção em que uma nave espacial voa. Com os cálculos adequados, os erros são pequenos e o desperdício de combustível e chances de chegar ao local errado são menores. A distância também não é tão grande que não possa ser atingida em alguns meses, no máximo.
    Uma possibilidade é que todos os astrônomos estejam conspirando contra a informação ser passada ao mundo, além das autoridades nacionais(No entanto, creio que seja difícil que todos os astrônomos do mundo estejam conspirando, pois não vejo motivo para tal)...

    ResponderExcluir