Poupar para ter tranquilidade na aposentadoria

Como todos sabemos, o povo brasileiro não poupa, nem pensa em fazer qualquer tipo de reserva financeira para o futuro. Isto significa que, mais cedo ou mais tarde, a maioria da população estará totalmente dependente do governo via previdência social.

O trabalhador paga mensalmente um valor para poder fazer jus ao beneficio previdenciário no futuro, em regra, quando ele se aposenta. Ou seja, receber este rendimento mensal do INSS é um direito pelo qual o trabalhador contribuiu muitos anos para conquistar e, obviamente, este valor deve fazer parte de seus rendimentos na aposentadoria. No entanto, ficar dependente somente deste beneficio é um risco muito grande para qualquer um.
Como sabemos, a previdência oficial tem uma dificuldade enorme para equilibrar seu orçamento e pagar as aposentadorias hoje em dia e, como a tendência da população brasileira é envelhecer nos próximos anos, esta dificuldade será cada vez maior. Com isso, são criados dispositivos na tentativa de deixar a previdência um pouco mais equilibrada. Dispositivos estes que, na maioria das vezes, diminui a renda dos aposentados (fator previdenciário, reajustes desvinculados do salário mínimo e, às vezes, até abaixo da inflação, etc.) e podem fazer quem vive exclusivamente do beneficio perder sua tranquilidade.

Por isso, ao contrário do que faz a maioria dos brasileiros, é muito importante poupar. Construir um patrimônio e uma renda independente é essencial, para que no futuro a pessoa não se veja dependendo única e exclusivamente da previdência social. Mesmo que tenha uma renda muito baixa e só consiga poupar muito pouco, esta pessoa verá que trinta anos depois, aquele pouquinho todo mês, lhe dará uma maior tranquilidade para se aposentar, pois ela terá menos medo de ter que passar alguma necessidade na velhice.

Só para ter uma ideia, um investimento de rentabilidade pequena, como a poupança, pode proporcionar, após alguns anos de contribuição, uma renda extra mensal que, mesmo pequena, pode ajudar a pessoa na aposentadoria. Se esse mesmo dinheiro for aplicado em um investimento com taxas semelhantes a do Tesouro Direto, por exemplo, o valor final, e consequentemente da renda extra, pode aumentar. E existem outros investimentos, com riscos maiores, que podem aumentar bastante o montante final a ser utilizado na aposentadoria e/ou sua complementação. Além disso, o dinheiro pode ser investido em uma previdência privada que administrará e aplicará o valor recebido em troca de algumas taxas cobradas por esta gestão.

Portanto, é possível, e recomendável, fazer um pé de meia durante a vida visando a aposentadoria. De preferência, investindo este dinheiro da melhor forma possível, para que o retorno seja o melhor que se possa alcançar com segurança. Isto pode garantir uma vida mais confortável financeiramente e sem depender exclusivamente da previdência social e das alterações que eventualmente possam ocorrer nas aposentadorias do regime oficial. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário