Debate de ontem

Ontem ocorreu o primeiro debate entre os candidatos a presidente no segundo turno destas eleições. Confesso que fiquei um pouco decepcionado, pois, apesar de algumas partes boas, o debate ficou mais centrado em acusações e agressões de lado a lado do que em propostas concretas para melhorar a sociedade. Os candidatos estavam mais preocupados em atacar um ao outro (e se defender consequentemente) do que em mostrar ao público quem teria as melhores propostas.
Aliás, isso é o normal nos debates no Brasil, o candidato tem como objetivo principal desconstituir o outro e não mostrar o que tem feito ou irá fazer para melhorar nosso país. Um debate em bom nível teria muito menos agressões e muito mais propostas. E não só propostas, mas o detalhamento destas propostas. O que vai fazer, como vai fazer, onde vai fazer, com que dinheiro vai fazer e até quando vai fazer. Não adianta dizer somente que vai melhorar a saúde, a educação ou a segurança pública, tem que dizer como vai fazer isso, de onde vai sair o dinheiro para fazer e quando serão implementadas estas melhorias. Sem esses detalhes, ficam apenas palavras jogadas ao ar, que sequer possibilitam a fiscalização concreta destas promessas, pelo eleitor, após o candidato assumir o cargo.

Outra coisa que não entendo nestes debates (e não é desta eleição específica, mas de todas em que algum político busca a reeleição), é o candidato à reeleição prometer fazer algo importante que ainda não fez. Ora, se tem que fazer, porque já não fez ou porque não começa a fazer agora, já que está no poder. Candidato à reeleição não tem que prometer nada novo se for eleito, tem que mostrar o que fez e apresentar propostas (concretas e detalhadas) que vai continuar fazendo ou então, se for o caso, começar a implementar o que é necessário desde já e não esperar uma eventual reeleição para colocar a mão na massa.

Mas voltando às agressões e ausência de propostas, acredito que a culpa é nossa também. Nós, eleitores, temos o dever de cobrar dos candidatos propostas efetivas e como elas serão realizadas. No entanto, dá muito mais voto (ou tira voto do adversário, o que dá quase no mesmo) as agressões mútuas e é por isso que os candidatos as fazem, porque eles se preparam para o que o eleitor, em geral, quer ver e ouvir no debate. Para o que pode acumular mais votos para ele e tirar mais votos do adversário. Por isso, o eleitor deve começar a mudar e se preocupar muito mais com propostas concretas do que com "disse me disse" e acusações que, muitas vezes, sequer podem ser verificadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário