O escândalo da Petrobrás

Nos últimos meses o povo brasileiro ficou chocado com o que seria um grande esquema de corrupção na maior estatal do país. A Petrobrás estaria sendo lesada por algumas empresas, políticos, partidos e alguns de seus próprios diretores. Segundo informações prestadas à Justiça pelos delatores do esquema, a empresa estaria contratando empresas fornecedoras e prestadoras de serviço por um valor cerca de 20% acima do mercado. Em troca, essas empresas pagariam uma gorda comissão para quem fazia parte deste esquema.
Conforme foi amplamente divulgado pela mídia durante a semana, os depoimentos dos delatores do esquema contam que quando a Petrobrás precisava contratar alguém para fazer uma obra ou prestar um determinado serviço, já existiria um grupo de empresas que decidia quem iria ganhar a licitação e quanto valeria esta obra/serviço, sempre com um valor cerca de 20% acima do mercado, garantindo um excelente contrato para a vencedora do certame. Isto somente era possível porque alguns diretores da estatal (indicados por partidos políticos) fariam parte do esquema e, assim, possibilitariam essa fraude, causando enorme prejuízo a Petrobrás.

Ainda segundo os depoimentos, as empresas envolvidas no esquema para ganharem este contrato superfaturado, aumentando consideravelmente seus lucros, deveriam, em contrapartida, passar um pouco deste excesso para os diretores da empresa, políticos e partidos que ajudavam tudo a acontecer. De grosso modo, para ganhar o gordo contrato com a estatal, as empresas, que participavam do esquema, pagariam 3% do valor do contrato em propina para ser dividida entre os envolvidos. Alguns milhões de reais que seriam usados para pagar campanhas políticas de alguns partidos e enriquecer os diretores e políticos envolvidos.

Ou seja, caso esse esquema seja realmente comprovado, ganhavam as empresas, que conseguiam um contrato que jamais conseguiriam no mercado, ganhavam os partidos, que financiavam suas campanhas e elegiam seus candidatos, e ganhavam os diretores e políticos envolvidos, que enchiam o bolso de dinheiro. Só perdiam a Petrobrás, que era lesada em uma grande soma de dinheiro, e o povo brasileiro, que é seu sócio majoritário.

Desta forma, confirmando que estes crimes foram praticados, os envolvidos têm que ser exemplarmente punidos, pois não lesaram somente uma empresa, mas sim um símbolo nacional (que já passa por um momento difícil financeiramente) e lesaram também o Estado Brasileiro (e seu povo consequentemente), que é o sócio majoritário da Petrobrás e principal prejudicado com eventuais desvios de dinheiro da empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário