O nordeste e as eleições

Após a apuração das eleições presidenciais domingo à noite, começaram a surgir diversas críticas ao nordeste brasileiro, algumas bastante preconceituosas. O motivo destas críticas era a reeleição da presidente Dilma. Muitos comentários nas redes sociais, fundamentados em um mapa do Brasil com a indicação do vencedor das eleições em cada estado por uma cor vermelha ou azul, apontavam o nordeste como o responsável por esse fato. O mapa era apenas para indicar o ganhador da eleição em cada estado, mas serviu como fonte de ódio e preconceito para quem não conhece o país e o sistema eleitoral.
Inicialmente, este texto não pretende abordar se a reeleição foi boa ou não para o Brasil, mas, simplesmente mostrar a falácia de uma responsabilidade unicamente nordestina pela decisão que reelegeu a presidente. Vejamos o exemplo de São Paulo, onde o candidato de oposição teve uma grande vitória. Mesmo com o triunfo de Aécio no estado, Dilma teve aproximadamente 8,5 milhões de votos, mais que em qualquer estado nordestino. Aliás, mais que em qualquer outro lugar do país, até porque São Paulo é o maior colégio eleitoral do Brasil. Ou seja, o lugar que Dilma sofreu uma grande derrota, foi também onde teve mais votos. Desta forma, se a presidente tivesse menos votos no estado, o resultado da eleição poderia ter sido diferente. Se uma parcela dos 8,5 milhões de paulistas que votaram em Dilma (pouco mais de 20% ou 1,8 milhão de eleitores), mudassem o voto para a oposição, Aécio teria vencido o pleito, mesmo com a derrota acachapante no nordeste. Isto quer dizer que São Paulo é responsável pela reeleição da presidente? Claro que não, seria até absurdo este pensamento, já que a oposição teve uma votação muito maior que a presidente no estado. Isto só mostra que a eleição brasileira é muita mais complexa que um mapa pintado de azul e vermelho.

E, obviamente, a presidente não teve muitos votos só em São Paulo. No Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Minas Gerais, por exemplo, a eleição foi bastante disputada, com um dos candidatos vencendo com uma pequena margem percentual de votos. Nestes estados, Dilma teve cerca de 14 milhões de votos. Novamente, se 1,8 milhão destes 14 milhões de eleitores da presidente, mudassem seu voto para oposição, Aécio estaria eleito, mesmo com a derrota no nordeste. Esta reviravolta na eleição aconteceria também se 900 mil destes 14 milhões de eleitores mais 900 mil dos paulistas que votaram na presidente tivessem votado na oposição, deixando claro que a eleição poderia ter sido decidida em qualquer parte do país.

Para colocar uma pá de cal no assunto, a presidente teve um total de aproximadamente 54,5 milhões de votos. Destes votos, cerca de 30 milhões vieram do sul, sudeste e centro-oeste. Ou seja, o norte e o nordeste juntos contribuíram para menos da metade dos votos da presidente (cerca de 24,5 milhões), mostrando que não foi só o nordeste que elegeu a presidente. Como dito anteriormente, este texto não pretende dizer qual candidato seria melhor para o Brasil, nem abordar os motivos socioeconômicos que levaram cada eleitor a escolher seu candidato, mas tão somente demonstrar que não foi o nordeste brasileiro isoladamente que decidiu as eleições. É verdade que muitos nordestinos votaram na presidente, mas muitos paulistas, gaúchos, cariocas, mineiros e outros brasileiros também votaram e todos estes eleitores e todos os estados brasileiros contribuíram para o resultado das eleições.

2 comentários:

  1. Isso aí,concordo plenamente com tudo que você falou..é verdade que bastante gente daqui votou na Dilma,mas não só o nordeste a elegeu então ficar com piadas ou ironias aos nordestinos é um tanto quanto ridículo!Eu mesmo votei em Aécio,por suas propostas?Não,porque eu não quero mais o PT no poder!Tudo que pude ver nos debates não era um objetivo por um país melhor e sim atacar o outro ..tudo pelo poder!É triste dizer mas o "câncer "chamado corrupção está espalhado por todo o Brasil,mas antes de sairmos culpando alguém..temos que parar e pensar se não devemos mudar também muitos dos nossos pensamentos,aquele jeitinho brasileiro de querer se dar sempre bem..a mudança antes de tudo começa dentro de você e creio que é dessa forma que podemos mudar um país :)

    ResponderExcluir
  2. Concordo. O resultado não foi o que eu queria mas foi o Brasil que decidiu assim.

    ResponderExcluir