Roma, a história de sua fundação

Foto do Rio Tibre. Roma, a história de sua fundação.
Rio Tibre - Roma, a história da sua fundação

A história da fundação de Roma é ligada à lenda dos gêmeos Rômulo e Remo. Na verdade, existem algumas lendas e outras tantas teorias históricas sobre a origem da cidade, mas, dentre todas estas, a mais conhecida é o conto mitológico dos irmãos abandonados no Rio Tibre e amamentados por uma loba, que cresceram e fundaram Roma, a cidade que iria se tornar o centro do mundo alguns séculos depois.
A lenda da fundação de Roma conta que Eneias, filho da deusa Vênus, foge de Tróia com seu pai, filho e alguns sobreviventes. Depois de vagar algum tempo pelo mar mediterrâneo, Eneias chega à península itálica para construir seu novo lar. Na nova terra, faz amizades e se casa com a filha de um rei local, se tornando mais tarde rei dos latinos. Ascânio, filho de Eneias, sucedeu o pai e fundou a cidade de Alba Longa às margens do Rio Tibre, se mudando para lá.

A história continua muitos séculos depois quando Numitor, herdeiro legítimo do trono e descendente de Eneias, foi deposto pelo seu irmão Amúlio, que matou todos os filhos homens de Numitor e obrigou sua sobrinha Reia Silvia a ser uma sacerdotisa virgem para que não pudesse ter herdeiros. No entanto, Reia ficou grávida do deus Marte e teve dois filhos gêmeos, Rômulo e Remo. Amúlio, como punição, prendeu a sobrinha e mandou jogar os bebês no rio para que morressem.


Continua após publicidade:


Todavia, o cesto que estavam os bebês, futuros fundadores de Roma, ficou atolado em uma das margens do Tibre e foi encontrado por uma loba que os amamentou para que não morressem de fome. Tempos depois, um pastor, que passava pelo local, achou as crianças e resolveu criar os gêmeos junto com sua esposa. Os meninos cresceram e já eram adultos quando descobriram sua verdadeira origem. Amúlio tomando ciência que seus sobrinhos estavam vivos, mandou capturá-los, mas somente conseguiu prender Remo.

Rômulo então partiu rumo à Alba Longa para libertar o irmão. É bem sucedido nesta missão e ainda mata seu tio Amúlio, devolve o trono a seu avô e dá todas as honrarias a sua mãe. No entanto, os irmãos decidem que ali não era o lugar deles e partem para fundar uma cidade no local onde foram abandonados. Depois da construção dos muros e fundação da nova cidade, os dois começam uma disputa para saber quem seria o rei. Em decorrência desta contenda, Rômulo mata Remo, tornando-se o primeiro rei da cidade que viria a se tornar a mais poderosa de todo o planeta alguns séculos depois e que seria chamada de Roma em sua homenagem.


Compartilhe o texto:



Assuntos que podem te interessar:

A história de um príncipe brasileiro. Roma, a história de sua fundação As leis devem ser cumpridas. Roma, a história de sua fundação Paris, a cidade luz. Roma, a história de sua fundação Independência financeira. Roma, a história de sua fundação

Um comentário:

  1. O passado tem histórias de muita violência em nome do poder. E como valorizavam o poder! Pelo que lemos, na maioria das histórias os membros das famílias odiavam-se, a vida não tinha nenhum valor. Apesar de sabermos que trata-se de uma lenda e com exageros.

    Mas saindo da antiguidade e chegando aos dias atuais, estamos de certa forma, em matéria de violência muito próximos do que foi no passado. O tempo passou mas o egoismo e a ganância continuam vivas e fazendo vítimas.

    Abraços

    ResponderExcluir