Ideologia, eu quero uma para votar

Os partidos políticos têm como uma de suas funções principais reunir pessoas com um mesmo conjunto de ideais, tanto como filiados quanto como eleitores, para representá-las politicamente. Portanto, um partido socialista teria filiados e eleitores socialistas e representaria esta porção da população, assim como um partido liberal teria filiados e eleitores liberais e representaria a parcela do povo brasileiro com este pensamento e assim por diante com partidos conservadores, social-democratas, etc.
O grande problema atual de nosso país é que a maioria dos partidos tem apenas uma ideologia: o poder. Chegar ou permanecer no poder é a meta principal da maior parte das legendas políticas nacionais. E isto é facilmente observado nas alianças formadas no Congresso, Assembleias, Câmara de Vereadores e nas eleições. Políticos e partidos com históricos muito diferentes e ideologias adversas se juntando com o objetivo de chegar ou se manter no poder.

Esta ausência de ideologia tem como consequência direta a falta de representação política, que ficou clara nos protestos de 2013 com a expressão “não me representa”. A maioria dos partidos políticos abandonou suas ideologias para lutar pelo poder, deixando de representar a parcela da população que acredita naquele conjunto de ideais. E pior ainda, hoje em dia, alguns partidos já nascem sem qualquer ideologia que não seja a busca pelo poder.

Outra consequência deste problema é a perda de sentido do voto proporcional. Neste tipo de voto, aplicado nas eleições para vereadores e deputados estaduais e federais, o eleitor vota primeiro no partido e depois no candidato propriamente dito (para saber mais sobre o sistema proporcional clique aqui). Isto acontece porque o que deveria decidir os rumos das câmaras de vereadores e deputados é a ideologia da maioria ali representada, portanto mais importante do que escolher um único candidato seria escolher a ideologia reinante na casa parlamentar e assim garantir que as leis e o governo seguissem esse conjunto de ideais da maioria. No entanto, como, atualmente, grande parte das siglas políticas não seguem outra ideologia que não seja a busca pelo poder, este tipo de sistema perdeu seu sentido completamente, já que o eleitor acaba elegendo candidatos que não queria e que não têm os mesmos ideais que os seus.

Desta forma, é urgente que seja realizada uma ampla reforma política para que os partidos políticos possam voltar a representar a população brasileira. Um primeiro passo deveria ser acabar com o “toma lá, dá cá” e o modo como as alianças partidárias funcionam atualmente. Aliança políticas deveriam ser ideológicas e não unicamente para um partido chegar ou continuar no poder como o eleitor cansa de ver ano após ano.

Um comentário:

  1. Assino embaixo a sua postagem.
    Tanto no diagnóstico do problema, quanto na solução.
    Falta uma ideologia clara. Por exemplo, o Partido Progressista é conservador; o DEM (Democratas) é o resultado de um outro partido antigo que sustentou a ditadura; O PSDB, social-democrata no nome, é neoliberal. Como podemos culpar o eleitor se ele é vítima dessa confusão deliberada?
    Só mesmo uma Reforma Politica (ampla, de verdade, que vá no cerne da questão) pode resolver esses e outros impasses.

    ResponderExcluir