Liberdade econômica e qualidade de vida

Capitalismo é a organização econômica caracterizada pela propriedade privada e pelo livre mercado, liberdade econômica total. Assim, não existe nenhum país capitalista puro no mundo, ou seja, um lugar com mercado totalmente livre e sem nenhuma intervenção estatal. O que existe em nosso planeta, são países mais ou menos capitalistas de acordo com a liberdade de seu mercado e o respeito à propriedade privada.

Quanto menos o governo regula a economia de um país, mais liberdade econômica ele tem. Por outro lado, quanto mais intervenções o governo faz na economia de um país (limita direitos de propriedade, regula o mercado, não faz acordos comerciais, etc.), mais reprimido e menos livre é seu mercado. Então, vejamos abaixo o mapa baseado no ranking feito pela Heritage Foundation que mede a liberdade econômica de cada país. Como a legenda informa, os países em verde são os livres ou majoritariamente livres, os amarelos são os moderadamente livres, os laranjas são os que majoritariamente não tem liberdade e em vermelho os que não tem liberdade.

Mapa baseado no ranking de liberdade econômica no mundo.
Mapa que reflete o Ranking 2013 de liberdade econômica da Heritage Foundation

Como podemos observar no mapa de liberdade econômica, em regra, os países em verde (livres ou majoritariamente livres) são os países mais ricos do planeta, onde as pessoas têm melhor qualidade de vida em quase todos os aspectos (Austrália, Suíça, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, etc.). Importante notar que um dos poucos países verdes na América Latina é o Chile, o mais desenvolvido e com melhor IDH (índice de desenvolvimento humano) da região. O Brasil, como podemos ver, está de laranja, com uma economia majoritariamente sem liberdade. O país ocupa, no ranking de 2015, o 118o lugar, ou seja, um dos países com menos liberdade econômica no mundo. Todos sabemos como anda a qualidade de vida por aqui (crise econômica, violência, educação e saúde pública de péssima qualidade, etc.).
Diante disso, será que podemos dizer que a qualidade de vida das pessoas de um país está interligada com a liberdade econômica do lugar? Vamos analisar o ranking dos melhores sistemas educacionais do mundo feito pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) em comparação com o ranking de liberdade econômica mencionado anteriormente:

Comparação entre os melhores colocados em ranking de educação com o ranking de liberdade econômica.
Ranking de melhor educação comparado com ranking de liberdade econômica


Na figura acima, é possível reparar que a 1a e a 2a melhor educação do mundo são também as duas economias mais livres do planeta e que os 10 melhores sistemas educacionais, segundo a OCDE, estão entre as 30 economias com maior liberdade econômica do planeta. Portanto, de acordo com as informações acima e com qualidade de vida notoriamente melhor nos países desenvolvidos (a maioria com uma economia livre ou majoritariamente livre), podemos presumir que o nível de liberdade econômica de um país influi na qualidade de vida das pessoas que vivem neste lugar. Será que não está na hora do Brasil dar uma maior liberdade para sua economia? 

3 comentários:

  1. O mais interessante foi ver que os 5 primeiros do ranking de educação são asiáticos. Coincidência? Duvido!

    ResponderExcluir
  2. Saudações,
    Sua postagem é bem relevante e permite levantar algumas questões sobre esses assuntos.
    A começar pela fonte. A Heritage Foundation é uma instituição think tank norte-americana de cunho conservador e neoliberal. Isso é importante tendo em vista os resultados da pesquisa. Nenhuma pesquisa é absoluta, reflete os métodos que usamos. Geralmente ela nos leva aonde queremos chegar.
    Por exemplo: o ranking é de 2013. Dá pra considerar a economia dos Estados Unidos "livre" de regulação e intervenção estatal, depois do socorro aos bancos privados na ordem de 700 bilhões de dólares do dinheiro do Estado, ou seja, do contribuinte? E na Europa, não aconteceu a mesma coisa?
    Outra questão: vejo os países nórdicos (Islândia, Finlândia, Suécia, Noruega) em verde. Ora, não existe capitalismo mais regulado por um Estado não ditatorial do que nestes países!! O mercado é regulado por uma social-democracia que coloca o capitalismo a serviço do povo, e não o contrário.
    No mapa, verde, verde mesmo, só EUA, Inglaterra, Japão, e Alemanha, Estados que fundaram suas economias no imperialismo, e que depois de ricos, precisam de mercados livres para escoar seus produtos e capitais.
    Logo se vê que trata-se de um dado ideologicamente dirigido.
    Os países com maiores sucessos na Educação na média, já que foi o parâmetro escolhido, são os nórdicos, a Coreia do Sul e a China. E o que eles todos têm em comum? Neles a Educação é uma política de Estado, e não uma mercadoria que funciona conforme as leis do mercado, como no Brasil. Isso explica muita coisa.
    Grande abraço,
    Almir Albuquerque
    Panorâmica Social

    ResponderExcluir
  3. Quanto mais liberal a economia de um país, melhor a qualidade de vida de sua população. Os países nórdicos tem uma economia muito liberal. O próprio primeiro-ministro da Dinamarca já disse que lá a economia é livre de mercado, muito longe de uma economia regulada pelo estado como aqui,

    ResponderExcluir